23 de Janeiro – Sexta-feira

Cheguei ao Bar do Nonô, na Rua Campanha 11, no Carmo, com sangue na boca. Calma, calma! Isto não quer dizer que cheguei lá querendo matar o Nonô por ele ter fechado o bar na segunda e terça-feira.

Tampouco cheguei com sangue na boca querendo matar o cara que roubou o meu carro hoje à tarde, porque, no fundo, o cara me fez um grande favor de levar aquela lata velha embora e porque, espero, que o seguro me pague um valor maior do que ele valia. Vou ficar com vontade de matar o cara se ele não roubar de fato e eu encontrar a lata velha em estado pior ao que estava sem dar perda total.

Cheguei lá com sangue na boca porque tinha saído do dentista, meia hora antes – estava fazendo limpeza na Camila – e eles gostam de tirar um sanguinho na gente.

O Humberto novamente me telefonou propondo um happy-hour e trouxe o Chico junto. A Cristina apareceu, novamente, depois da foto.

O Bar do Nonô está todo reformado, com cadeiras e mesas novas, todo arrumado. O dono é torcedor do Mineiro, não é bobo nada e colocou uma bandeirinha do Cruzeiro, uma foto do time do América e outra da Seleção Brasileira, ao lado de bandeiras, fotos da família com camisa do Mineiro, fotos do time, faixas, etc. Isto quer dizer que, nestes tempos bicudos, não se pode abrir mão de nenhum freguês.

Bom atendimento, garçom atencioso que sabe tirar fotos, fritas e carne de panela honestas e… cerveja congelada. Mas o cara que estava no papel de dono, ao constatar que a cerveja estava congelada e depois de constatar que as sopradinhas que deu na garrafa para descongelar não deram o resultado esperado, colocou-a de novo sobre a mesa e nos tranqüilizou dizendo:

– Se ela não voltar ao normal eu trago outra!

Com esta informação ficamos tranqüilos e o dono não precisou trocar nada porque a cerveja voltou ao normal depois de, não mais que uns 10 minutos. Ufa!

Anúncios

4 Respostas para “23 de Janeiro – Sexta-feira

  1. Tio Augusto, tenho me divertido com suas aventuras blogueiras, quem sabe quando eu conseguir dar a penosa emagrecida prometida no fim de ano eu passo a te acompanhar e deixe somente de te invejar. Mas uma dia eu ainda vou soh para me inteirar de toda a filosofia por trás da coisa, que muito me interessa e necessita de algumas cervejas e não de letras frias de um computador. Desde já deixo meu convite para a maratona que eu, polly e normalmente 1 ou 2 casais de amigos realizam no grande evento butequeiro dessa cidade ‘o comidadibuteco’. Abraços!

  2. Este Nonô só me decepciona.

  3. rsrsrsrsrsrssrsr!

    é de matar de rir uma coisa tão comum, pode? Um HH. E a foto, é demais. Acho que a distância torna as coisas tuas(o blog) mais engraçadas do que realmente são. Estou curtindo de montão. Numparanão. Aquele abraço.

  4. augustonobuteco

    Pedrinho,
    estou pretendendo ampliar a abrangência destas visita, explorando uns bares de São Luiz do Marnhão. São Luiz que me aguarde.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s