Arquivo do dia: 14/02/2009

13 de Fevereiro – Sexta-feira

dsc04613reduzida

             Quando uma sexta-feira coincidia com um dia treze, o Vô Lauro não comprava ou vendia bois, não comprava mercadoria alguma para a loja, não emprestava nem recebia dinheiro, quase nem saia de casa com receio de dar azar. Eu, que não tive tempo para pensar nisto hoje e nem ligo para os azares, saí cedo de casa para trabalhar, fui para o Senai até às 22 horas e depois fui para o Butiquim O Inusitado.

         O Inusitado, localizado na Rua Cristina 1.256 (2535-0322), esquina com Rua Leopoldina, era anteriormente o Ponto do Espeto e antes, ainda, Pelejando. Era no Pelejando que o Silvio Podestá podia ser encontrado todas as noites, nunca sozinho, atrás das garrafas e copos.

Agora, todo repaginado, com nome novo, com cardápio tirado a besta, com quadro de Biquinho na parede, espantou o Silvio e ele deve estar pousando em outro lugar. Cardápio tirado a besta é uma sacanagem da minha parte: excelentes tira-gostos; a costelinha de porco estava sequinha e a mandioca, que acompanhava, estava perfeita. Quero crer que foi a nova arquitetura do local que espantou o Sílvio.

         Antes de ser Pelejando era a Mercearia do Lili. Pasmem! A Cristina quis argumentar que a Mercearia Lili sempre foi na Rua São João Evangelista, mas a dona não deixou que ela completasse a frase e disse: Eu moro aqui há 50 anos. Ela nos contou, ainda,  que Seu Lili fez a construção do atual prédio dO Inusitado para ser uma mercearia e que, mais tarde, mudou para o atual endereço.

É uma clássica construção de esquina, de um andar apenas, com muitas portas e pouca profundidade, muito adequada para ser um bar. A forte chuva que caiu em BH, por volta da meia noite, atrapalhou quase nada, porque instalaram um toldo de plástico que é abaixado até ao chão, quando chove.

Encontramos lá, por acaso, o Juan e a Cláudia, com um casal de amigos. Outros amigos deles assentavam à mesa e conversavam. Foi um bom papo, quando chegamos à conclusão que a Dilma é o melhor nome para ser a próxima presidente da república. Mais que o melhor nome, concluimos ser quem tem mais chances, já que o vício do Aécio o deixará fora da disputa e o Serra meterá os pés pelas mãos, junto com a arrogância peessedebista e paulista.

A Cláudia propôs ao final: Vamos ver se nos encontramos de uma forma menos inusitada. Vamos, vamos sim, pensei.