Arquivo do dia: 25/02/2009

24 de Fevereiro – Terça-feira

dsc04726reduzida1   dsc04731reduzida1    

A ida ao Sambódromo poderia ser contada ontem ou hoje, pois começou ontem às 22 horas e terminou hoje às 5 horas. Agüentamos firmes 7 horas de desfile, 5 escolas. Tomamos o café da manhã, no hotel, às 6 horas, e fomos dormir para nos preparar para o Hh de hoje, na Urca.

         Eu já perdi a noção a respeito de qual horário um Hh pode ser feito. No carnaval vale qualquer horário: de manhã, à tarde, de madrugada, qualquer hora.

         Fomos á Urca, Bar da Urca na Rua Cândido Graffeé 205 (tel 2295-87449, para a indicação mais preciosa da Marina. No rés do chão funciona o bar, servindo cervejas e tira-gostos no balcão e na sobreloja funciona o restaurante. Ficamos no bar, enquanto aguardávamos vagar mesa no restaurante, comendo o melhor pastel e a melhor empada de camarão que encontramos.

         A ida a este restaurante, e a ida aos outros bares neste carnaval, nos ensinou que não dá para ficar arriscando em cidades estrangeiras, na esperança de encontrar bons lugares. Os tiros foram todos na mosca e o melhor e  mais certeiro, na qualidade, foi no Bar da Urca.

         Tivemos que deixar para trás quase metade da Caldeirada de Frutos do Mar e uma boa parte do Escondidinho de Camarão. Gêra não agentava ficar dentro do restaurante e o Chico começou a suar. Abandonaram o restaurante e me deixaram pagando a conta. Andamos até o ponto do bondinho para ajudar o estômago.

         O dono do Bar da Urca, o Gomes, é um velhinho que trabalha desde os catorze anos. Não acredito que tenha sido dele a idéia de afixar na parede do bar os Dez Mandamentos do Bar e, no banheiro masculino, as regras de uso do banheiro, em um grande cartaz, que transcrevo abaixo, ipsis litteres. As incorreções gramaticais são do autor.

         “Como um homem pode urinar corretamente. Gostaríamos que V. Sa. passasse os olhos nas instruções abaixo, sem a pretensão de educá-lo no ato de urinar, mas apenas solicitar que tente segui-las para o bem estar higiênico de todos nós, usuários deste recinto. 1) coloque-se numa posição em que as pernas cheguem o mais próximo possível do vaso sanitário, sem necessariamente o toque. 2) segure firme o pênis e aponte para dentro do vaso. 3) verifique se não há cabelos interferindo no canal de saída, pois quando isto acontece é formado o efeito chafariz. 4) teste o jato, pois antes do ato o canal está contraido e, portanto, a velocidade é maior. Conforme fórmula matemática: Q = V.A, onde Q = vazão, V = velocidade e A = área. Portanto, diminuindo a área, a velocidade é maior, e assim aumenta a possibilidade do efeito chafariz. 5) relaxe e urine. 6) à medida que o jato for diminuindo, aproxime-se do vaso sanitário para que V. Sa. não urine nos pés e, consequentemente no chão. 7) ao finalizar o ato, certifique que nada está pressionado, impedindo desta forma de sair a última porção da urina (fato muito comum em pessoas distraídas que saem do banheiro com a calça molhada na frente). 8) executando as instruções acima, restarão obviamente os últimos pingos, não sacuda violentamente, pois V. Sa. poderá benzer todo o w.c. Pressione a ponta do pênis no sentido longitudinal e na direção da bacia, se for o caso. V. Sa. poderá até enxugá-lo com um pedaço de papel higiênico, salvaguardando, assim, a higiene da sua cueca. 9) em seguida aperte o botão da descarga do vaso e certifique que não caiu nenhum pingo no chão, caso isto ocorra enxugue com um pedaço de papel. 10) não esquecer de fechar a braguilha antes de sair do w.c. 11) caso V. Sa. não consiga, por qualquer motivo, executar as instruções acima, sente-se no vaso, o que não acarretará nenhum demérito para a sua masculinidade.”

         O resto do dia foi, apenas, de água de coco e crepe.

Anúncios