Arquivo do dia: 23/04/2009

22 de abril – Casa de Monet

dsc04878reduzida

Happy hour, cerveja gelada, acústico, Ipod samba, aconchego, amigos, futebol, H2OH, talentos loungue, lonely hearts, coisa e tal, quadrinhos, tatoo, bossa nova, grafitti, beijo na boca, sangue bom, batata recheada, festa, skate, fusca, mojito, rock´n´roll, cada um na sua, Frank Miller, lado b, jam session, blog, bolacha, na moral, Podcast, moçoilas casadoiras, banheiro, piti biriba, suspiro, energético, opção, Traxx Best, pensamento, opinião, histórias, cantores, animação, surpresas, desejo, danças, tudo a ver, espaço, vocal, relax, evento, IPhone, churrasquinho, nem sim nem não, tambores, cavaquinhos, violões, sanfonas, pandeiros, versos, diversão, opinião, prazer, links, Fotolog, luvinhas de pelica, água mineral, eu avisei, paquera, comer beber viver, orkut, vinhos, flyers, You Tube, mosh, Alegria Alegria.

Tati é pisciana e acha que o mundo vai acabar hoje. Leva e traz pedidos, cervejas e petiscos com uma agilidade e cortesias ímpares. Tem uma tatuagem super-discreta nas costas para que os clientes possam reconhecê-la. É a nossa musa dos anos 80.

Os dois parágrafos acima foram copiados do cardápio do Restaurante e Bar Casa de Monet, instalado na Rua Angustura 122, 3234-1511, Serra, onde fui, com Gera, Juliana e Cristina, assistir a uma apresentação guitarrística do Rodrigo com uma banda. O cardápio traz, ainda, uma descrição, neste mesmo estilo da dona e dos outros funcionários da casa; é uma jogada interessante, pois nos torna íntimos, de chofre, de todo o pessoal da casa. Você já chama a Tati sabendo que ela acha que o mundo vai acabar naquele dia; isto não é interessante?

Não me importei que a batata recheada (R$5,00) estivesse meio crua, depois que li no cardápio que a Eliane cozinha para mais de cem pessoas sem perder o bom humor e sem errar a mão no tempero e que comete o pecado capital de incentivar a gula. Na verdade não sabia se tinha sido a Eliane ou a Marilene quem tinha preparado a batata. Eu sabia apenas que a Eliane reclama demais, pede demais, resmunga demais e agrada demais os clientes, que tem 35 anos, é solteira e mora na Serra; e isto me bastava.

A casa funciona de segunda a sábado, das 18 a 1 hora da manhã, mas o show começou às 21 horas e terminou às 23 horas, já que o local fica em uma área residencial. Às 22 horas fecham a porta dos fundos para reduzir o barulho para os vizinhos, mas toda hora passava alguém e deixava a porta aberta. Não consigo entender como conseguem funcionar até este horário, já que o nível de ruído que chega às residências vizinhas é superior (não medi, mas entendo do assunto) ao estabelecido na legislação.

Para quem leu muito depressa ou teve dificuldade de entender a descrição que a casa faz de si mesma, ou seja, esse negócio de piti biriba ou nem sim nem não, devo esclarecer que se trata de uma casa gay.