Arquivo do dia: 20/05/2009

19 de Maio – Café com Letras

Oficial

Preocupado com a possibilidade de realização da profecia do Luiz Henrique, de um alcoólatra ser meu alter ego, mudei os planos e fui a um Café. Não um Café qualquer, mas um Café com Letras. Talvez, desta forma, o outro eu, possa ser um literato, um pensador, um escritor…

Esse Café, na Rua Antonio de Albuquerque, 781, na Savassi (3225-997399),  nasceu em 1996, trezentos anos depois que se popularizaram em Londres. Naquela ocasião, descobriu-se que o “café ajudava a regularizar o dia de trabalho, acordando as pessoas pela manhã e garantindo que ficassem vigilantes até o final da jornada de trabalho, ou até mais, se necessário”.

“O café veio a ser considerado como a própria antítese do álcool, levando à sobriedade ao invés de causar embriaguez, aumentando a percepção em vez de entorpecer os sentidos e obscurecer a realidade” em substituição ao vinho (doce veneno das uvas traiçoeiras que inunda nossa própria razão e nossas almas) e à cerveja (obscura bebida forte que sitia nossos cérebros), criando um espaço que substituía as malcheirosas tabernas onde se podia beber a bebida ideal para a Idade da Razão.

Levei as minhas próprias letras (História do Mundo em 6 copos) que me ajudaram a encher este texto de citações e que está indicado aí ao lado, no quadro “Literatura de Buteco”.

O ambiente neste café, cheio de gente usando internt ou lendo livros, lembra a intenção dos primeiros Cafés, onde “boatos, notícias e mexericos eram transmitidos entre os cafés públicos por seus fregueses, e ocasionalmente mensageiros iam de um café para outro, a fim de relatar grandes acontecimentos”.

Tomei duas xícaras deste “xarope de fuligem” ou “essência de sapatos velhos”, como diziam os críticos, e só fui conseguir dormir quase uma da manhã.

Mas o sanduíche que comi antes, a Devassa Ruiva com a qual abri os trabalhos e o brownie com sorvete de creme que fechou a nota fizeram a minha cabeça.

Anúncios