Arquivo do dia: 10/06/2009

09 de Junho – Barbazul

DSC05144reduzida

     Tudo conspirou para que a butecada de hoje se transformasse “na mais completa tradução” de um happy-hour de primeira linha.

     Acertei quando decidi ir ao Barbazul (Avenida Getúlio Vargas, 216 – Funcionários – tel: 2535-3527), que participou pela sexta vez do Comida di Buteco com o Maxixe no Sereno.

     Acertaram quando decidiram ajuntar numa frigideira carne serenada (a verdadeira carne de sol) com maxixe, tirinhas de pimentões amarelo, vermelho e verde, cebola roxa e branca, fatias de azeitonas pretas e um pouco de queijo, que se derrete, cobrindo tudo; a farinha-de-cigano, bem queimada, foi a solução que encontraram (melhor que o pãozinho) para fazer a liga do prato. Dez.

     O maxixe, introduzido no Brasil pelos escravos, que deveria se chamar “bomxixe” pelos seus sais minerais e por suas poucas calorias, segundo o astrônomo e cientista salinense Pedro Paulo de Oliveira, me fez viajar até Salinas.

     O frio e o tempero do prato pediam uma cerveja mais encorpada e a Bohemia Confraria encaixou certinho; bastou deixá-la perder um pouco de temperatura para que externasse toda a sua qualidade, justificando, com folga, o seu preço de R$9,00. Mosca.

     Os jornalistas do Estado de Minas, que trabalham do outro lado da rua, ajudavam a dar o ar de boemia ao local, freqüentado especialmente por pessoas menos jovens. O passeio largo abriga duas fileiras de mesas que fazem a curva pela Rua Bernardo Guimarães. Bingo.

     O garçom Buscapé procedeu como dono e ordenou, sem pestanejar, a troca da cerveja, quando abriram uma Bohemia Escura, por engano. Aprovado.