14/12/09 – Assacabrasa

O Assacabrasa, antes de ser um bar ou um restaurante é uma marca com sete endereços na cidade. Começou na Rua da Bahia com carnes maravilhosas e agora já tem na Rua Paraíba 1332 – Savassi – 3284-1608, como em Lourdes, BH Shopping, Shopping Cidade, Diamond Mall e Itaú Power Shopping. Penso que no fundo da alma, ou do bolso, os donos sonham em transformar a marca em algo semelhante ao Mac Donalds com endereços em todos os continentes.

Fui no endereço da Paraíba com o livro do “Festival Bar em Bar”, que terminou no final do mês passado, esperando encontrar o prato, com o qual participaram do festival, o Escondidinho de los Hermanos (guizado de carne cuchillada com aipo, pimentões coloridos e cobertura de pasta de batata gratinada), que embora não fosse um primor de originalidade e criatividade, ajudava a fugir da mesmice dos espetinhos.

Encontrei o local abandonado, atendido por garçons inexperientes (nem sinal do dono ou de um gerente) mais preocupados em entender o motivo pelo qual eu tirava fotos que com a qualidade do que serviam. Ao pedir uma água, para segurar a ansiedade do garçom, escutei a indefectível pergunta: – Com limão e gelo? -. Resisti: – Não, apenas água. – É que aceitamos tudo com limão e gelo por instinto, por imaginar que ganharemos alguma coisa sem nenhum custo ou por simples preguiça de dizer “não”.

Pois bem. Não tinham o prato do festival. Acabou o festival, acabou a festa, acabou o prato. E agora, José? Sozinho na mesa a solução era uma picanha na brasa. Fui até ao churrasqueiro explicar como eu gostaria que a picanha fosse preparada, após escolhê-la em tantas disponíveis no balcão, alertado para o aviso contido no cardápio onde se explica o que entendem pelos diversos tipos de “ponto”.

E valeu explicar que queria a picanha levemente vermelha por dentro sem sangrar quando cortada que foi traduzido pelo churrasqueiro como “no ponto pra cima”. Veio exatamente como combinado. Esqueci, entretanto, de alertar para a temperatura, pois a porção chegou morna, naquela temperatura que as carnes ficam no fim dos churrascos, quando o prato roda, roda e ninguém mais quer.

Com muita calma, expliquei ao garçom que a carne estava fria, por demorarem a servir (e olha que o local estava vazio), em temperatura que deveria estar quando estivesse terminando. Expliquei que não pediria para esquentar, pois a emenda ficaria pior que o soneto e decidi não devolver o prato; provocaria uma revolução.

Mas anotei o telefone para uma emergência. A R$35,00 por pessoa (sem bebida) fazem um churrasco na casa da gente. É preço para emergências.

Anúncios

5 Respostas para “14/12/09 – Assacabrasa

  1. Então tá explicada a sua cara de “quem comeu e não gostou”…tem lugares que não dá nem pra “sair bem na foto” . Mesmo com todo profissionalismo.

  2. Veja o que é o poder de uma informação, se você tivesse falado mil maravilhas do lugar, quem sabe algum dia iria, mas basta uma informação negativa para não querer comparecer.

    Augusto, acho que nós brasileiros somos comodistas ou temerários na devolução de um prato ruim, deveríamos fazer como nos restaurantes de granfinos na Europa, devolve-se o prato e pronto.

    Aqui ficamos com receio ou pena. Receio de devolver e pedir um novo e ter o prato cuspido ou algo pior. Pena de quem sabe o garçon ou o cozinheiro ter que tirar do bolso o prejuízo.

    Eu, até hoje, não tive a capacidade de devolver um prato. A cerveja e já devolvi as congeladas, as fervendo eu não devolvo, não bebo pago e vou embora.

    Acho que essa é a nossa cultura.
    O que vocês, leitores e blogueiro, pensam.

  3. augustonobuteco

    Anderson,
    a minha intenção não é tirar ninguém de nenhum bar; pelo contrário, acho que os meus textos levam mais as pessoas aos bares. Neste caso específico, pode-se perceber que coloco como obrigação do consumidor, saber pedir exatamente o que quer. Naturalmente ninguém deveria lembrar aos garçons ou churrasqueiros que a carne não pode demorar a ser servida e que trata-se de uma baixa qualidade do serviço.
    Acho que este tipo de discussão é válido para conscientizar e estimular as pessoas a exigirem mais pelo que pagam.
    Augusto
    PS: Com a palavra os comentaristas de plantão.

  4. Augusto, sou um dos sócios do Assacabrasa e somente hoje, 3 anos depois tive oportunidade de ler seu comentário… Que pena nós não pudemos fazer nada… Como você mesmo disse ao iniciar seu comentário,
    são 7 lojas, hoje são 18 anos, e, você conhece bem o público mineiro, sabe o quanto é exigente…Portanto, não foi por um acaso que crescemos.
    Há 18 anos atrás quando inauguramos a primeira loja, a do Bairro de Lourdes, na Rua Rio de Janeiro, eu era a churrasqueira . Nunca imaginei que o Assacabrasa pudesse chegar a ser esta empresa que somos hoje.
    Temos muito orgulho da nossa empresa, da nossa forma de atender nosso público, da forma que tratamos nossos funcionários, do trabalho social que fazemos.
    Não conseguimos estar em todas lojas durante todo o período de funcionamento, para isso temos funcionários contratados que muitas vezes não correspondem com a nossa necessidade e expectativa. Sinceramente eu gostaria muito de saber quais funcionários te atenderam, e, provavelmente, nenhum deles continuam trabalhando na nossa empresa porque a mão de obra neste segmento, em nossa cidade está muito difícil.
    Temos uma clientela cativa bem grande, temos um site onde nossos clientes podem se comunicar com nossa empresa expondo satisfação e reclamações, e sempre que recebemos qualquer contato de clientes, retornamos e agradecemos, porque foi com ótimo atendimento e qualidade de nossos produtos que crescemos.
    Saiba que ao ler seu comentário fiquei muito triste.
    Apesar de já ter passado 3 anos , lamento, porém te agradeço .
    Miriam

  5. augustonobuteco

    Mirian,
    é o preço que todos temos que pagar quando crescemos, perdemos um pouco o controle. Você mesma viu que eu percebia que as falhas eram provocadas pela impossibilidade dos donos estarem de olho o tempo todo. O desafio é crescer e não perder a qualidade dos produtos ou dos serviços.
    Mas o objetivo meu é sempre o de colaborar com a melhoria dos estabelecimentos.
    No mais, parabéns pelo crescimento; estou bem de previsão pois já antevi que vocês virarão uma rede tão grande quanto a MacDonalds. Espero que não seja muito tarde pois quero assistir esse momento.
    Um abraço,
    Augusto

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s