5/10/10 – Expo-Cachaca 2010

<object width=”480″ height=”385″><param name=”movie” value=”http://www.youtube.com/v/EZp_-9JmCk0?fs=1&amp;hl=pt_BR”></param><param name=”allowFullScreen” value=”true”></param><param name=”allowscriptaccess” value=”always”></param><embed src=”http://www.youtube.com/v/EZp_-9JmCk0?fs=1&amp;hl=pt_BR” type=”application/x-shockwave-flash” allowscriptaccess=”always” allowfullscreen=”true” width=”480″ height=”385″></embed></object>

Agora a dose é dupla. Duas vezes ao ano. A Expo Cachaça – a vitrine mundial da cachaça – acontecerá na Serraria Souza Pinto (Av. Assis Chateaubriand, 809, Centro) de 14 a 17 de outubro, das 14 às 24 horas, sendo que no domingo a abertura é às 10 e o encerramento às 22 horas.

O ingresso custa R$20,00 a inteira e R$10,00 a meia, com direito a dois shows todos os dias e degustação de cachaça de diversos expositores. O primeiro show começa às 19:30 horas e o segundo às 22:00 horas (no domingo os horários são às 18 e 20 horas. São shows de música country, Moda de Viola, MPB, Blues, Sertanejo, Anos 60/70 e Beatles. Outras informações estão disponíveis no site www.expocachaça.com.br

Como já fui em anos anteriores e como não gosto de assistir shows tão tarde não irei este ano. Mas recomendo.

Marvada Pinga

Inezita Barroso

Composição: Ochelsis Laureano

Com a marvada pinga
É que eu me atrapaio
Eu entro na venda e já dou meu taio
Pego no copo e dali nun saio
Ali memo eu bebo
Ali memo eu caio
Só pra carregar é que eu dô trabaio
Oi lá
Venho da cidade e já venho cantando
Trago um garrafão que venho chupando
Venho pros caminho, venho trupicando, xifrando os barranco, venho cambetiando
E no lugar que eu caio já fico roncando
Oi lá
O marido me disse, ele me falo: “largue de bebê, peço por favô”
Prosa de homem nunca dei valô
Bebo com o sor quente pra esfriar o calô
E bebo de noite é prá fazê suadô
Oi lá
Cada vez que eu caio, caio deferente
Meaço pá trás e caio pá frente, caio devagar, caio de repente, vô de corrupio, vô deretamente
Mas sendo de pinga, eu caio contente
Oi lá
Pego o garrafão e já balanceio que é pá mor de vê se tá mesmo cheio
Não bebo de vez porque acho feio
No primeiro gorpe chego inté no meio
No segundo trago é que eu desvazeio
Oi lá
Eu bebo da pinga porque gosto dela
Eu bebo da branca, bebo da amarela
Bebo nos copo, bebo na tijela
E bebo temperada com cravo e canela
Seja quarqué tempo, vai pinga na guela
Oi lá
Ê marvada pinga!
Eu fui numa festa no Rio Tietê
Eu lá fui chegando no amanhecê
Já me dero pinga pra mim bebê
Já me dero pinga pra mim bebê e tava sem fervê
Eu bebi demais e fiquei mamada
Eu cai no chão e fiquei deitada
Ai eu fui prá casa de braço dado
Ai de braço dado, ai com dois sordado
Ai muito obrigado!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s