13/02/11 – Badejo

Senta-se numa mesa na varanda voltada para o mar e, após uma casquinha de siri (R$11,90) e um chopp, comanda-se uma moqueca capixaba de peixe para três pessoas, que poderia ser de Abadejo, Pescada Amarela, Olho de Boi ou Dourado (600gr) com camarão Rosa (200gr) por R$157,60. Ficamos sem saber qual era o tipo de peixe, pois esquecemos de perguntar e não optamos pelas moquecas especiais por acharmos o preço salgado, elas são de Badejo e uma de (600gr) com camarão Rosa (200gr) ficaria em R$189,60.

Todas são preparadas em uma panela de barro e servida com arroz e pirão. Chega a mesa fumegante e impressiona pelo excelente aspecto e pela fartura. A receita (peixe em postas, camarão, azeite de oliva, tomate, coentro, tempero de alho e sal e corante) é detalhada no cardápio.

Tudo isso sem ir ao Espírito Santo. Basta ir ao Badejo que está a vinte anos na praça, na Rua Rio Grande do Norte, 836, Savassi. O mar é uma grande foto fixada no muro e tem o efeito do espelho nos espaços pequenos: á gente sabe que é mentira, mas dá uma sensação prazerosa.

Para facilitar aos amantes da boa mesa o acesso a alta gastronomia, o Badejo está participando da 2ª edição do Belo Horizonte Week, que começou em 14/2 e irá até 27/2. O evento consta de cardápio composto de entrada, prato principal e sobremesa a preços bem convidativos: almoço – R$27,50 e jantar – R$39,00.

Sai com a sensação de que não vale o que paguei. Mas existe um consolo: é mais barato que ir ao Espírito Santo comer uma.

Anúncios

8 Respostas para “13/02/11 – Badejo

  1. Eugenio Raggi

    Augusto,

    Nunca tive apreço pela peixada capixaba. Minha falecida esposa – uma quase baiana de Pedra Azul – indignava-se com a falta de dois elementos essenciais a uma moqueca de verdade ( o dendê em porções pequenas e o leite de côco). “É uma indignidade”, dizia ela, “uma falta de carinho com o peixe não colocar dendê e leidicôco”.

    Eu que pouco entendia de baianidades logo entendi. Hoje não preparo moquecas sem estes dois ingredientes que os capixabas descartam em sua culinária. Dona Vaneska, que nos deixou antes de completar 37 anos, ainda tinha mais das suas flechadas: “Só fala mal do dendê quem comeu uma vez e passou mal e faltou macheza pra experimentar de novo”. Realmente, só se passa mal com dendê na primeira vez que se come. Depois, parece que estamos vacinados. Acho o azeite baiano uma bênção, quando usado com parcimônia.

    Enfim, sobre o Badejo…Estive lá há mais de 10 anos. Continua bastante caro, mas parece manter a qualidade costumeira. Qualidade, como já foi dito, pra quem aceita e se contenta com o preguiçoso e insosso tempero dos capixabas.

  2. Gostei do seu blog e espero que goste do meu tambem,ja que falamos das melhores coisas do mundo.Espero um comentario seu la.
    Obrigado!

  3. Ana Luiza Neves

    Olá, voltei! Deixo meu contato e espero o convite para o lançamento, bjos mil!

  4. Filipe Iglésias Lourenço

    Augusto! Fiz um blog e o primeiro tópico dele foi a respeito do bloco. Confere: http://nophotochopp.blogspot.com/

    Qualquer coisa me manda um e-mail!

  5. augustonobuteco

    Filipe,
    aquela escada é a melhor coisa do bloco.
    Dá as melhores fotos.
    Um abraço,
    Augusto

  6. Realmente é um ponto especial. As pessoas se comportam de um jeito diferente ali na escada. “Ela” dá um toque ao bloco.

    A gente se esbarra!

  7. Filipe, não tô conseguindo entrar no blog. O link não deu, Google tb não…

  8. deicha ela em paz

    em meu nome

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s