19 06 11 Chico do Peixe

Daniel pôs a turma na frente da câmera e fez uma foto panorâmica para mostrar bem o galpão onde o Chico do Peixe serve seus pratos na Rua Pitangui, 11, Concordia (3442-4241), de segunda a segunda. Recebi a dica sábado à noite e no domingo parte da família já estava reunida para ver como é esse tal de Chico.

Além desse endereço o Chico vende seu peixe em mais dois endereços: Floramar e Santa Inês. Além do peixe o Chico vende também as suas picanhas, maminhas e contra-filé na chapa por qualquer coisa em torno de R$30,00. Vende também suas porções como qualquer boteco, mas o assunto hoje é peixe.

Com uma cozinha também panorâmica que se mostra para o público, pedimos o recomendado Peroá (G1 – R$21,50) assado, de entrada . Veio bonito, saboroso, parecendo peixe servido nas barracas de praia. Uma pena é que tinha assado um pouco demais, deixando-o ressecado.

Em seguida, duas moquecas de surubim ($42,00) acompanhadas de arroz, salada e pirão.  Um cheiro de queimado se apresentou quando começamos a nos servir e se revelou também no sabor quando chegamos mais no fundo da panela de pedra. Foi outra pena! Os peixes estão ficando cada dia mais raros e os pratos mais caros. Por isso, é lamentável que se deixe estragar material tão nobre.

Muito obrigado pela reclamação, pois sei que cliente que reclama volta e cliente que não reclama não volta; está muito difícil arrumar boa mão-de-obra; tenho que ficar à frente na cozinha senão não sai nada; já avisei para a cozinha para retirar o peixe um pouco antes, pois peixe feito na panela de pedra continua cozinhando após a retirada da panela do fogão, etc. Esses foram os argumentos do gerente quando comentei com ele que os dois pratos estavam queimados.

São explicações compreensíveis e aceitáveis. Cozinhar peixe exige muito mais cuidados que outros pratos. O que não é aceitável é fazer isso com os coitadinhos dos peixinhos.

 

 

Anúncios

7 Respostas para “19 06 11 Chico do Peixe

  1. Eugenio Raggi

    Quando ocupava um pequeno espaço do outro lado da Rua Pitangui o Chico teve lá os seus tempos de charme. O peixe era baratíssimo e a qualidade muito boa. Fez sua fama e ergueu um galpão bem maior, com ares de atacadão culinário. Passou por péssimos momentos (chegou a ser engolido pelo narcotráfico local) e acabou tendo de aumentar os seus preços para selecionar melhor clientela. Da última vez que lá estive foi uma decepção total. Péssimo atendimento, super impesoal, ambiente sem um mínimo de aconchego e a impressão de que comíamos algo feito a toque de caixa, um toyotismo pseudo-gastronômico em que até mesmo a aparência deixava a desejar.

    Total perda de tempo e dinheiro.

  2. augustonobuteco

    Eugenio,
    às vezes fazemos o modelo “morde/assopra” e às vezes saí mesmo é o modelo “morde/morde”.
    O que dá sempre é vontade de copiar seu comentário e colocar dentro do meu texto.
    Um abraço,
    Augusto

  3. Mais uma experiência com qualidade abaixo da média. Como morador da região, também sou testemunha da qualidade do Chico quando funcionava numa pequena porta do outro lado da rua e de sua decadência ao longo dos anos. Está difícil um boteco de peixes em BH!

  4. Augusto,

    Além das unidades Concórdia, Santa Inês e Floramar, há outra na Silva Lobo, e se não me engano mais uma na saída para Brasília (Bairro João Pinheiro).

    Não sou apreciador de “bares galpão”, formato adotado pelo Chico do Peixe, Chico do Churrasco, Espeto do Manuel… mas admito, que o estilo faz bastante sucesso em BH. Ocorre que os problemas do Chico do Peixe não se restringem ao seu ambiente, já que nos bares congêneres ao menos a cozinha é de qualidade, haja vista os copiados pão de alho do Chico do Churrasco e o Espetinho de Kafta do Manuel.

    No Chico do Peixe já experimentei o cascudo e o peroá, ambos de qualidade duvidosa, ou seja, a última coisa que poderia acontecer em um bar com peixe até no próprio nome.

  5. já tinha ido duas vezes no chico do sta inês, mas da última mandamos cancelar um prato pq o peixe estava com gosto terrível de estragado… foi colocar na boca e cuspir na mesma hora.. só depois percebemos o cheiro ruim.. foi inaceitável… a experiência foi tão ruim que nunca mais voltamos..

  6. Uma correção: o fato relatado por meu comentário acima ocorreu na verdade no Chico do Peixe do bairro Concórdia, e não do Sta Inês. Que fique aqui registrado.

  7. augustonobuteco

    RSM,
    registro feito. Trabalhar com peixe não é fácil, tem que ter muita atenção com a conservação.
    Um abraço,
    Augusto

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s