Bar Mercado Central – 26/5/12

Imagem

Quem leva o nome do lugar sabe que tem que representar condignamente esse lugar e o Bar Mercado Central, que funciona no coração desse mercado, faz isso. Antes funcionava em apenas uma porta com os garçons enviando as garrafas de cerveja pelos ares para os fregueses. Agora dobrou o espaço e as garrafas são entregues aos fregueses normalmente, pois o Corpo de Bombeiros proibiu tal prática.

Todos os fregueses ficam de pé, encostados no balcão ou compartilham (pensei em criar o neologismo “coportilham” mas a barra ficava muito forçada) as mesas internas altas enquanto bebem, conversam ou assistem televisão. Os que chegaram primeiro bebem água limpa, ou seja, ficam na região mais nobre, à frente das portas, trocando a televisão pelo movimento do mercado, em um movimento inverso ao descrito pelo Chico Buarque em sua música “A Televisão”.

Percebi que o público que entupia a entrada do bar era formado por especialistas: homens desacompanhados de cônjuges, na faixa de 50 anos, que não estavam fazendo turismo e sabiam exatamente porquê estavam ali.

Ao entrar e receber o cardápio entendi o porquê. Público e cardápio de primeiríssima classe. Cervejas normais com preços entre R$4,5 e R$6, as long necks especiais entre R$3 e R$4, cachaças entre R$3,50 e R$6 e uma renca de destilados em porções e não alcoólicos que não merecem detalhamento.

Chamou minha atenção uma parte do cardápio denominada “Posso provar” com porções bem pequenas de torresmo, batata, mandioca e lingüiça a R$2, bem adequada para quem está sozinho ou para os iniciantes ou pesquisadores que querem saber de tudo com um única ida ao bar.

Outra coisa positiva chamou minha atenção, qualquer funcionário lhe atende, agilizando o serviço, anotando seu pedido na sua comanda, sem aquela de “tem que falar com o garçom”. O pasteleiro interrompe, sem nenhuma dor, a sua faina (hoje estou atacado) de preparar a massa de pastel – dobrando-a, esticando-a, passando-a nos cilindros ou enchendo-as com recheio – para atender nosso pedido de pastéis ou para entregar uma dose de cachaça ou uma nova cerveja.

Pasteis, a preço de R$3, de carne, queijo, frango, palmito e bacalhau fritos na sua frente, com recheio e sabores dignos do bar, que é lembrado pelos antigos freqüentadores com uma pastelaria, já que a fritadeira de pastéis fica à vista de quem passa pelos corredores do mercado. Não considerei, de nenhuma forma, a qualidade do recheio do pastel de bacalhau, que é feito com uma massa de batatas e um peixe salgado que lembra longe o bacalhau, conforme deduziu meu consultor gastronômico, EulerAtayde, que me acompanhava.

O bar, na sua normalidade, atende ao público interno durante a semana servindo PFs (tropeiro ou Caol) de segunda a sexta-feira, a R$12, e feijoada a R$15 nas quintas e sextas-feiras.

Fiquei sem conhecer a lista de petiscos do cardápio que merece uma avaliação mais completa e extensa que essa com suas porções de fígado, pernil, rabada e pé de porco, carne de sol, de panela, maçã de peito e contra-filé, língua, dobradinha, costelinha, almôndega, chouriço… Uma representação completa da gastronomia butequeira mineira.

Afinal eu tinha ido ao mercado apenas para fazer um levantamento de preços para os caldos, canjica e quentão da Festa Junina da Casinha (aguardem convite) e tinha almoço em casa me esperando. E deu nisso!

Anúncios

15 Respostas para “Bar Mercado Central – 26/5/12

  1. Grande Augusto!

    De fato inspirada esta resenha, sobre um dos bares que representa verdadeira síntese do nosso Mercado Maior. As garrafas “avuadoras” de outrora não mais existem por ali, mas a boa atmosfera sobrevive.

    Um grande abraço!

  2. Eugenio Raggi

    Uma pena a proibição dos sensacionais aremessos de garrafas. Penso que nosso Corpo de Bomebiros deveria se preocupar com questões mais sérias. Até fico imaginando se eles tem o poder de “proibir” essa prática, creio que não, mas deixa pra lá. É o bar com a melhor comida do Mercado, excelente atendimento e cerveja geladíssima. A fauna e a flora, como bem ressaltou o Augusto, é de butequeiros genoínos, o que por si só já merece louvor.

    Podem me chamar de ranzinza, mas se eu entro em um bar e percebo algum cretino ostentando seu iPhone na mesa ao lado da chave de um veículo desses apreciados pela burguesada eu me levanto e saio pra nunca mais voltar.

  3. augustonobuteco

    Eugenio,
    vamos sentar e organizar o Off CdB 2013?
    Um abraço,
    Augusto

  4. augustonobuteco

    Pedrão,
    tá sumido, cara!
    Conto com você na organização do Off CdB 2013.
    Um abraço,
    Augusto

  5. Eugenio Raggi

    Augusto, ótima a ideia do Off CdB 2013. Vamos marcar num boteco – evidente – e organizar os detalhes do certame. Abs!

  6. Augusto,

    Muito legal essa iniciativa, até porque o CdB não contempla nem um décimo dos bons bares da cidade, que vão do Barreiro à Venda Nova.

    Conte comigo!

  7. Ansiosa por essa lista Off cdb aí!!!!
    Abç

  8. Hahahah!
    O corpo de bombeiros proibiu a prática de arremessar garrafas de cerveja cheias pelos ares sobre a babeça dos fregueses? Não consigo nem imaginar por que!

    No mais, o bar parece muito digno da visita!

  9. Mário Fonseca

    Caro Augusto,

    Ouvi falar, de um dos donos de bar participante, que os dois primeiros colocados do Comida di boteco fraudaram o evento para conseguir as boas colocações. Você ficou sabendo de algo?

    Um abraço!

  10. Augusto…bela inspiração…uma parte do mérito é do clima do mercado…rsrsrs

  11. augustonobuteco

    Sidnei,
    uma parte do mérito do bar deve-se ao clima do mercado.
    Uma parte do mérito do meu texto deve-se também ao clima do mercado. Já pensei, inclusive, em levar o computador para o bar e escrever no calor do ambiente. Acredito que sairiam textos melhores. É difícil manter a atmosfera longe do local.
    Um abraço e obrigado.
    Augusto

  12. augustonobuteco

    Mário,
    não, não fiquei sabendo nada a respeito dessa eventual fraude. Também eu estava meio por fora desse evento, apesar de ter ido a uns quatro bares esse ano. Alguém te falou como se deu essa fraude? Foi através do voto popular ou rolou grana para comprar resultados?
    Particularmente não acredito nisso, mas acredito que em qualquer negócio grandes interesses tendem a manipular resultados.
    Você está desde já a participar o Off CdB 2013 que pretendo organizar, que é um evento semelhante, sem premiação, sem colocação, sem nada, porque como disse João Bosco, a gente não precisa que organizem nosso carnaval.
    Um abraço,
    Augusto

  13. augustonobuteco

    Elis,
    imagine um monte de bêbados recebendo garrafas de cervejas pelos ares. Deu pra imaginar?
    Um abraço,
    Augusto

  14. augustonobuteco

    Adriana,
    também estou ansioso por ouvir suas sugestões, porque você será uma das pessoas da comissão organizadora que sentará solenemente conosco em um buteco para a fundação.
    Um abraço,

  15. Nossa!!!! Que honra….será mais que um prazer, Augusto.
    Abraços

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s