Imagem

Chico do Churrasco – Lourdes – 24/11/12

Saí de casa nessa manhã de sábado, a pé, com meu uniforme tradicional para essas ocasiões: sandália crocs, chapéu panamá, óculos escuros, bermudas, mochila nas costas e lista de tarefas na mão. Como a lista era pequena logo chegou a hora de estacionar em um bar e ler o meu livro.

Estava sem rumo, sem indicação. Precisava apenas de uma cadeira para me assentar e uma mesa para apoiar a garrafa de cerveja enquanto continuava a ler as aventuras e desventuras da família Terra Cambará. Parei no Tip Top mas o chope não estava bom. O que poderia ser: velho, boca ainda não pronta? Não perscrutei, segui adiante e parei no Chico do Churrasco na Rua Rio de Janeiro 1650 (3291-2945 e 2555-1957), instalado em antiga casa com varanda e segundo andar, na esquina com Bias Fortes. As mesas na calçada atraíram-me mais que qualquer outra coisa.

Declinei da abordagem do dono que me ofereceu o self service e disse que buscava apenas uma cerveja, mas observei que aquele produto não era uma excelência na casa, apenas ocupava a mão-de-obra e ajudava nos lucros nesse horário pre-butequeiro. Entrei nos cômodos da casa antes de por os olhos no cardápio e vi que, tanto naqueles quanto nesse, o Chico tinha trazido o jeito de suas origens.

Desde a economia na produção do cardápio – também merecedor da minha coleção, por que não? – com propagandas de hot-sex-shops, loja de material de construção em Ibirité e chaveiros na parte superior e inferior das páginas do cardápio, passando pelo jeitão das garçonetes, até às proibições clássicas de ficar sem camisa, apitar, assobiar, bater nas mesas, provocar, etc. mostravam que um bar típico dos bairros mais afastados tinha se instalado no coração de Lourdes.

Mas as qualidades não paravam por aí. Ele trouxe também o bom atendimento, a qualidade e os bons preços. Ou ainda o melhor churrasco, a cerveja mais gelada e o melhor controle de qualidade como apregoa o cardápio. A ver.

Fui ver. Não pude, entretanto, provar das grandes porções de peixe na brasa (cascudo a R$23 a unidade e salmão a R$7/100 gr), churrascos bovinos a preços médios de R$7/100 gr, onde fica explicitado que o peso mínimo é 330 gr e que o peso é determinado antes de ser assado. Também não pude provar os churrascos e linguiças suínas a preços um pouco mais baixos. Nem as porções de batatas, mandioca, bolinho de bacalhau, torresmo de barriga, pernil, etc.

Fui da minha predileta Serramalte (R$6,50), apenas 50 centavos mais cara que as normais, pão com creme de alho e queijo (R$4,40) e dois espetinhos: salsichão recheado com mussarela e carne de sol (~R$4,50). E estava tudo bom. Esclareço que a intenção do pedido de espeto de carne de sol era para por à prova a qualidade toda a qualidade da casa por entender tratar-se do mais difícil de fazer.

Peço a vocês que me ajudem na definição de qualidade, experimentando os outros pratos, mas o Chico – ou será Xico – passou com louvor no meu teste de qualidade por não ter atrapalhado (e contribuido) a minha emoção com a leitura dO Arquipélago do Erico Veríssimo e com recebimento dO Retrato – impossível não fazer a comparação – pintado pelo Rafael Daconti em 2005. Essa tela, que já está pendurado na parede da minha sala, ajudará a eternizar a passagem por esse bar. Ô côsa!

Anúncios

Uma resposta para “Chico do Churrasco – Lourdes – 24/11/12

  1. augustonobuteco

    O site novo ficou lindo. Que dia vai lançar? Bjos, Cristina.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s