Imagem

Der Famous – 15/3/13

Der Famous - 15/3/13

Por detrás dessa porta de aço, pichada, sem placa que identifique o que funciona lá dentro e sem número que possa identificar o endereço, espremida entre uma loja de móveis e uma academia de ioga, esconde-se uma boa opção de sanduíches da cidade.

Quando a porta da Avenida do Contorno 6399 é aberta, de terça a sábado (20 às 2hs) e aos domingos (18 às 24hs), observa-se no minúsculo interior do Der Famous, dois balcõezinhos com tamboretes altos, em cada um dos lados da porta, que servem aos que esperam por uma das 4 mesas da calçada. Pode-ser ver ainda a mínima pia, o único banheiro que atende homens e mulheres e a faina do cozinheiro na cozinha por detrás do balcão.

O dono, sempre sério atrás da barba e dos bigodes, só desaparece quando, aproveitando os tempos de bonança, anda pouco mais de cem metros e vai espiar como vão as coisas no Duck and Duck, do qual é sócio.

O cardápio exibe apenas os chopes claro (blonde ale) e o escuro (dry stout) da Taberna do Vale, nas versões 300 e 500 ml, com valores entre R$6 e R$13, facilitando a escolha. Quatro tipos de Wraps, todos servidos com requeijão – um de cogumelo a R$18, outro de camarão a R$20, um terceiro de pepperoni e o último de palmito com provolone a R$12. Algumas sobremesas e molhos completam o cardápio.

A simpática garçonete Edna, demonstrando muita intimidade com os personagens alemães famosos que dão nomes aos 4 tipos de sanduíches, a R$17, anotou apenas Becken quando encomendei o Franz Beckenbauer (pão australiano com lingüiça picante e molho da casa) e reduziu a Beeth a anotação do Ludwig Van Beethoven (pão de sal, lingüiça fina com cebola caramelizada no Jack Daniels). E eu fui embora sem saber como ela trata o Albert Einstein (pão de milho, salsicha alemã branca, pepino picles e cebola cristal). Garantem a qualidade comprando em lojas especializadas, menos os molhos que são fabricados diariamente.

Se os pedidos não demoram a ser atendidos, também não são servidos tão rapidamente com num drive thru de fast food onde se poderia passar e pedir “Me dá um Karl Marx” (pão de sal com lingüiça calabresa e chucrute) ou “Sai um Carlão”, se já for íntimo. Enfim, é uma sanduicheria slow-food.

Eu já fiquei íntimo a ponto de chamar o local de “O pão com lingüiça do Alemão”

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s