Imagem

A Pão de Queijaria

A Pão de Queijaria

É visita para se fazer de duas vezes porque o local tem dupla identidade. Das 10 às 18 horas é momento para um café rápido, enquanto se passa o olho no jornal do dia ou se dá sequência no livro da semana, em uma das três mesas internas.

Nessa visita matutina é hora de pão de queijo do dia; cada dia da semana um pão de queijo diferente. Nessa terça-feira era dia do Parmesão d´Alagoa; em outros dias oferece-se – R$3,50 – o Serra da Canastra e Serra do Salitre ou o Queijo Gruyére (R$4,50), servidos com manteiga saborizada com café ou creme de queijo.

Para acompanhamento um Expresso cujo preço varia de R$3 a R$6 dependendo do tamanho ou algum dos 5 drinques com leite (Capuccino, Pingado, Café com Leite, Doce de Leite Quente ou o Chocolate).

Noite

Às 18 horas, com a diminuição do número de pessoas andando nas calçadas e com o fechamento das lojas vizinhas, ocorre uma transformação e surge um bar com suas três mesas nas calçadas, duas delas convenientemente instaladas na linha das árvores, de forma a não atrapalhar a circulação de pessoas.

Aí é hora de provar uma Caipirinha de Café (R$10) – cachaça, limão, gelo e expresso – ou a Caipira Coffe Coffee provar o perfeito equilíbrio entre bebidas tão distintas; impossível saber se é um café no qual colocaram cachaça ou uma cachaça na qual puseram café. E continuar com as long necks da Backer a R$7,50.

Para a companhia provamos dos Pãos de Queijo com Recheio: Lingüiça Picante, Frango+Pesto, Pernil, Alcatra ou Hamburger, com preços variando de R$10 a R$15, podendo gastar mais R$3 para um acompanhamento de polenta frita ou salada.

Não se esqueceram de preparar uma linha para os vegetarianos e outra para os amantes das sobremesas: Profitelores à Mineira, X-cake da Dona Marlene, Pera na Cachaça e Pudim Republicano, por volta de R$8.

Quer saber mais sobre as características dos produtos? Dê sorte de ir lá em uma hora que o proprietário – Mário – esteja lá para o receber e lhe dar informações com muita simpatia e presteza. . Se ele não estiver observe o cuidado na escolha e a qualidade de cada um dos ingredientes.

E ninguém precisa pensar que está pagando em “surreal” porque ninguém está pagando nada pelo luxo do lugar – aliou-se simplicidade com bom gosto na decoração – e sim pela excelente qualidade das matérias- primas altamente selecionadas.

Por essas e outras soluções que dão identidade própria à cidade, que BH não precisa pensar que é Europa, como diz a música.

 

Rua Antonio de Albuquerque, 856 – Savassi – Tel: 3244-2738

De Segunda a Sábado, das 10 às 23 horas.

Anúncios
Imagem

Carnaval 2014 em BH

Carnaval 2014 em BH

O Carnaval 2014 de Bh terminou mostrando um crescimento enorme. A Prefeitura meio que compreendeu o desejo da população e aceitou a ocupação das ruas da cidade, mesmo na semana anterior ao carnaval, quando o Chama o Síndico ocupou, na quarta-feira que precede o carnaval, as duas pistas da Avenida João Pinheiro, às 8 horas da noite.

A Prefeitura viu frustada a sua intenção de cadastrar ambulantes que vendiam bebidas. O que se viu foi ambulantes de todos os tipos – os clássicos, os estudantes ajuntando grana para a festa de formatura e até mesmo a classe média faturando algum.

O que se viu também foi a presença de foliões carregando carrinhos com cerveja para o consumo próprio, para fugir do preço de R$5,00 dos latões. Viu-se ainda foliões vendendo chup-chup de caipirinhas e caipivodcas.

Por essas e outras que a Prefeitura  deve ter desistido de atender à exigência do patrocinador de colocar avental em todos os ambulantes com a identificação desse patrocinador.

Outra grata ocorrência nesse carnaval foi o aparecimento de ambulantes vendendo comidas feitas em casa, como alternativas para os carrinhos de cachorro-quente.

E mais ainda: comida gourmet. Vejam a russa – falando um português perfeito – com suas panquecas recheadas a R$5,00, fornecidas embaladas em papel filme. Tive que me contentar com a de Abóbora com Parmesão já que a de Jaca Salgada já tinha acabado. Pequenas – adequadas para quem quer continuar a beber – e muito saborosas.

Imagem

Mello Pizzaria Restaurante e Cervejas Especiais

IMG_2165editada

Postinho Orion

IMG_2147editada

11/1/13

O Postinho Orion estava muito bem recomendado e cheguei disposto a confirmar isso. A noite quente conspirava a favor. Excelente aspecto: bar de esquina onde funcionou um antigo posto de gasolina, pouquíssimas modificações deixando a maior quantidade de referências possível. Cobertura original de alvenaria, bem alta, deixa o ambiente bem arejado e amplo e a grade em volta junto ao passeio protege o freguês e o dono, sem nos privar da vista da rua.

Os freqüentadores, em sua maioria eram casais, conversavam baixinho, deixando o ambiente com jeitão de intimista, apesar do grande movimento de carros na rua. Todos me deixaram com inveja, pela grande quantidade que comiam.

Agarrado numa Brahma Extra (R$7) fiquei observando os pratos que passavam em direção às mesas. Vi passarem as pizzas, as massas enormes (lasanhas, rondelis, espaguettis, talharins e nhoques a preços por volta de R$15). Os pratos servidos tinham excelente aspecto e as pessoas com entusiasmo correspondente.

Para vocês entenderem melhor a situação, os vinhos ofertados são o Almadén Branco e Tinto e o Liebfraumilch a R$22, indo para marcas mais populares a R$18 (Canção e Campo Largo).

Fiquei com receio de gostar muito e me preveni comandando – para duas pessoas – apenas um Mexido à Moda Orion (R$16), com acréscimo de um bife de pernil (R$3) e um ovo (R$1,50). O ovo estava ótimo e o bife de pernil parecia estar seco e duro, mas estava macio e saboroso. Mas o mexido tinha apenas feijão e arroz, muito pobre em temperos; lembrei-me dos tradicionais “mouros e cristianos” cubanos. Penso agora que fosse, talvez, o único prato não recomendado de todo o cardápio e eu fui justamente pra ele.

Com a certeza que se tratava de exceção, levei algo para o Daniel Dalí mesmo. Entre um dos dez tipos de sanduíches tradicionais (~R$7) e um dos seis tipos de sanduíches especiais (R$12), preferi levar o Espetinho de Contra-filé e um Pão de Alho (R$5 cada).

É bem provável, que nos finais de semana, ou em horários mais tarde, tenham mais saída a parte “Porções” do cardápio, onde se encontra de tudo que normalmente oferece um buteco clássico: salsichão acebolado, quibe, almôndegas, lombinho defumado, Paxá, Salaminho, bolinho de bacalhau, fritas, frango a passarinho, carne de sol ou lingüiça com mandioca, etc. Preços? Vá em frente, sem susto!

A Neusa, com jeitão de frentista, fez um atendimento perfeito, ensinando-me direitinho como voltar para casa.

Rua Padre Eustáquio, 1465 – Padre Eustáquio – Tel: 3412-4770.

De Domingo a quinta: 18:30 às 24 e às sextas e sábados das 18:30 às 3 horas

Bar do Walmyr

IMG_2134editada

9/1/11

O bar é do Walmyr, mas é mais prudente perguntar pelo antigo Bar do Dondinho, quando estiver no Santa Teresa. Mudou a direção, apareceram fotos de equipes de futebol matérias sobre futebol na parede. Manteve a arquitetura, as mesas e principalmente o PF do almoço.

Hoje estava perfeito: arroz, feijão, carne moída, moranga, quiabo e angu. Com o ovo frito extra (R$1) ficou completo. R$28,50 a conta: dois PFs (R$20), 2 ovos (R$2) e uma cerveja R$6,50. Sem 10% nem nada. Comeria isso durante toda a minha existência, se me fosse permitido.

O aviso no quadro negro informa que a partir de primeiro de abril (espero que não seja mentira) existirá opções de carne: porco, boi ou frango. Promete, promete!

Eu, para me manter fiel aos meus instintos, acrescentaria apenas uma leve fumaça saindo do feijão e do arroz, para que tivesse que assoprar as primeiras garfadas.

 Rua Tenente Vitorino, 269 – Santa Teresa – Tel: 3481-7607.

Churrasquinho do Manuel

06/1/14

IMG_2129editada

 

6/1/14

Se você pensou que o Churrasquinho do Manuel serve churrasquinhos se enganou. É um self service de uma boa categoria que funciona de segunda a sábado, de qualidade bastante razoável, onde se paga apenas R$2,99 – 100 gramas; não sei dizer se é preço de inauguração pois funciona há muito pouco tempo.

Se você achou que o estabelecimento fica nos bairros adjacentes da cidade, enganou-se de novo. Fica quase no coração da Savassi, na Avenida do Contorno com Rua Leopoldina.

Se você achou que a casa fica localizada em uma garagem, enganou-se pela terceira vez, pois está instalada em uma casa de dois andares – por enquanto não funciona o andar superior – onde se pode escolher ficar na varanda ou no ambiente interno.

Com a coifa da churrasqueira – onde se faz os grelhados – pifada e o ambiente todo inundado de fumaça, tive que me refugiar perto da janela, protegido por um imenso ventilador que impedia que a fumaça saísse do ambiente.

Av. do Contorno 6749 – Tel 3267-2100 – Savassi

Funciona de Segunda a Sábado para almoço

 

 

Avenida do Contorno, 6749 – Savassi – TeL: 3267-2100

Imagem

Quermesse

IMG_2124editada

 

3/1/14

Não basta alugar uma casa de esquina com uma boa varanda, pendurar algumas bicicletas e objetos antigos nas paredes à guisa de decoração, bolar um cardápio feito com capas de discos antigos, etc. que vai tornar a ideia uma boa solução. É preciso alguma coisa a mais. O que mais?

Essa questão deve passar pela cabeça do Paulinho – dono do Bar do Paulinho – localizado em frente ao Quermesse, ao observar a fila de pessoas aguardando mesa na fila do concorrente, enquanto no seu bar, com escudos do América afixados na parede, a bandeira do time do coração enrolando o suporte da TV, apenas os mesmos velhos fregueses de antanho, homens sozinhos, conversam à frente de copos de cerveja.

O Quermesse sabia disso é elaborou uma carta de cerveja para todos os gostos. As nacionais comuns (entre R$8 e R$9) e desconto para quem compra 5 unidades no balde. E as especiais na faixa de R$20.

E preparou um excelente, criativo e variado cardápio. Ao lado das polenta, batata e mandioca fritas (R$22), porção com 12 pasteizinhos (R$26), uma extensa lista de nomes criativos: arroz de puta, bifes sujo de alcatra e frango, caviar da roça, corda alemã, espetão de xixo, costela de chão, Swing de Buteco, 7 Prazeres da Vida, etc. Vale ressaltar que a criatividade não se limita aos nomes dos pratos; estende na elaboração dos pratos. Sanduíches e caldos completam o espetáculo.

Comemos o Pernil Municipal (R$29) que é o prato mais pedido: um bem servido pernil desfiado (difícil encontrar tempero igual) finamente temperado e coberto com cheiro verde picadinho, acompanhado com mandioca na manteiga. As mulheres foram de caipirinha com picolé (R$15), muito boa para quem quer beber e dirigir.

Tudo suportado por uma equipe de garçons muito bem treinados para serem agradáveis e servirem bem.

Mas nada disso é suficiente e não duraria muito tempo. Penso que, fundamentalmente, o bar tem que ter alma. E juro que vi uma alma rondando por entre as mesas do Quermesse, procurando descanso.

 Rua Pium-í, 1175 – Sion – Tel: 3284-9683