Arquivo do dia: 01/05/2009

30 de abril – Balaio de Gato

A convite da comentarista oficial do blog, Juliana César Coelho, visitamos o terceiro (na ordem de vista) e primeiro (na ordem de fundação) Balaio de Gato, um bar-loja. E a Cristina, inclusive, para não sair com as vastas mãos abanando, comprou, para variar, uma colcha bastante florida que custou três quartos do meu gasto no bar-loja. Pela quantidade de colchas que existe em casa, acho que a Cristina está pensando em abrir uma loja de colchas, quando se aposentar.

Com exceção de Marina e Chico, compareceu, além das já citadas, o cerne mais duro do blog: Valéria, Vilminha, Humberto, Marcos e Gera. Com Cleonice, Luiz Henrique e Gabriel completamos o time. Se estivéssemos todos podería-se dizer que era a própria Santa Ceiadsc04936reduzida.

O bar-loja impressiona, de cara, pelo belíssimo prédio da década de vinte, onde está instalado, na Rua Piauí 1052, Funcionários, 3213-9374. Impressiona, a seguir, pela decoração feita com tapetes feitos à mão, que lembram os trabalhos antigos das cidades do interior.  Ficamos admirando as colunas da varanda, os vitrais, os ladrilhos hidráulicos sem entender o que era original e o que era de renovações menos antigas.

Esta viagem pela arquitetura do prédio, foi facilitada depois do consumo de uma boa quantidade de uma cachaça especial que eu trouxe de Salinas, feita pelo Lula, envelhecida por cinco meses, em tonel de aroeira, que lhe deu um forte gosto de madeira (tonel novo) e um maravilhoso tom vermelho, como se fosse um rum “anejo”.

Funciona de terça a sexta, das 18 as 23 horas e nos sábados das 12 às 22 horas e podem-se encontrar diversos avisos e pedidos de cuidados com o volume das vozes, a partir das 22 horas, para evitar reclamações da vizinhança.

Por falta de mesa livre ficamos perto da entrada em uma mesa mais próxima da loja; isto foi bom porque estávamos com a macaca e falávamos alto e ríamos a ponto de estourar os botões das calças, o que provocava preocupações na Juliana. O Gabriel colaborou com o besteirol mostrando a nova língua que ele inventou e passamos a conversar apenas na língua nova.

As donas, Leca e Lu, permanecem no bar-loja, atendendo a todos; foi a Leca que tirou a nossa foto. Quem quiser conhecer melhor o espírito da coisa pode acessar www.obalaiodegato.com.br e verá, além da bela foto da fachada da casa, que o bar começou em 2005; improvisaram um bar para o bazar que foi tão bem aceito que foi efetivado. Verá que pode experimentar, nos sábados, almoços surpresa.

O nome “Balaio de Gato” veio para explicar como funcionaria a parte de baixo da casa, um local que caberia tudo. Percebe-se que a intenção primeira do local é promover a reunião de amigos, mas a cozinha não deixa a peteca cair e apresenta pratos com nomes originais (lá tudo é original) como Lula Temperamental ou Pescado do Padre.

Desta vez teve, no falar de Valéria, um pós-blog, pois encerramos os trabalhos, em casa, com Humberto e Vilminha, saboreando, a goiabada da Dona Vivinha (a melhor do mundo), que recebi de presente da família, com queijo.

Anúncios